1.9.09

Centro à Noite

O povo tem medo das ruas desertas do Centro.
O povo tem tanto medo das ruas desertas do Centro
Que elas vão ficando mais e mais desertas.

Vamos todos fazer uma passeata.
Vamos todos! Uma passeata pela paz,
Uma passeata abraçando a cidade,
Mas não uma passeata sob o sol bonito da Delfim Moreira,
Vamos todos, vamos juntos, fazer uma passeata pelo CENTRO,
Fechemos a Rio Branco com nossas camisetas brancas
(Vistamos os mendigos da Rio Branco com as melhores delas),
Vamos ocupar os becos escuros e as travessas,
Vamos iluminar o Centro refletindo a lua e as luzes de emergência dos edifícios,
E abracemos a Mem de Sá, que a Delfim Moreira já foi abraçada demais...

3 comentários:

Unknown disse...

Você esqueceu de colocar no seu perfil: "Sabe e canta de cor todas as músicas dos Beatles."

Aline Brandão disse...

Heh, bem lembrado isso das músicas dos Beatles... Vou acrescentar lá! :D

Hami Cristine disse...

Gosto mesmo é de divagações curtas. Não que não curta as compridas, mas vá lá. Rs.

Por isto, meu comentário nesta postagem.

Fica aqui meu elogio. Considerei extremamente bem organizado, ritmado e simples. E, ainda assim, profundo - combinação que transforma devaneio em poesia.

O tema? É ele mesmo que digo que está bem organizado, e acrescento que está bem trabalhado. Faz muito sentido, e é até bem óbvio o problema que se apresenta, mas achei a sugestão incrível. Alguém deveria usar esta idéia.